Patacala

Minha foto
O estudo como um todo me transformou num ser mais cult..., o quartel deu-me algum caráter, algo de austeridade, e bastante disciplina...A vida me transforma, ainda hoje, num ser mais responsável e feliz... Tenho que pôr para fora a historiografia do espaço que me cerca...por mim, por todos que me cercam, pelos alunos e pelos meus amados descendentes... Quem sou eu, afinal? Sou auditor, mestre, pesquisador, flamenguista e carioca....um tanto quanto crazy....mas impondo pitadas de juízo e seriedade, e retirando um outro tanto de rock´n roll, atesta-se experimentalmente, probabilisticamente e aprioristicamente que eu sou normal...
Reencontrar e lidar com um mundo de transliteração cerebral....passar e absorver opiniões...dialogar e transformar o abastrato em concreto...idéias...conhecimento...admiração...deve bastar até o fim dos meus dias...

Viajar é preciso....













--------------------------------------------------------------















sábado, 31 de julho de 2010

Uma noite em 1967

Na noite de 21 de outubro de 1967, o Teatro Paramount, em São Paulo (SP), foi palco de disputa emblemática na história da música brasileira. Naquela noite, aconteceu a final do III Festival da Música Popular Brasileira, produzido e exibido pela TV Record. Defenderam músicas nessa mítica final nomes como Caetano Veloso, Chico Buarque, Edu Lobo, Elis Regina (1945 - 1982), Gilberto Gil, Nana Caymmi, Roberto Carlos e Sérgio Ricardo. Time que - com exceções de Elis e Roberto - entraram em campo para cantar músicas de sua própria autoria. Os ânimos, nos bastidores e na platéia, estavam exaltados. Até porque o que estava em jogo não eram somente as primeiras colocações, mas as ideias musicais então inovadoras que Caetano e Gil defendiam, espalhando a semente tropicalista que iria germinar com força naquele ano e em 1968. De um lado, o bloco mais conservador, refratário à inclusão da guitarra elétrica na MPB. De outro, a turma mais antenada - a facção jovem - que absorvia as novidades estéticas da cultura pop (leia-se Beatles) de forma antropofágica. Cenário de disputas ideológicas, a final do III Festival da Música Popular Brasileira é revivida no documentário Uma Noite em 67, dirigido por Renato Terra e Ricardo Calil. Ainda sem data marcada para entrar em circuito convencional nos cinemas brasileiros, o filme vai poder ser visto em três sessões da 15º edição do festival de documentários É Tudo Verdade, em cartaz no Rio de Janeiro (RJ) e em São Paulo (SP) de 8 a 18 de abril de 2010. A abertura do festival acontece nesta quinta-feira, 8 de abril, em São Paulo (SP), justamente com sessão (para convidados) de Uma Noite em 67.


Sinto como se tivesse estado lá, naquela noite...

Radiografia

Há muitas coisas no seu coração que você nunca pode dizer a outra pessoa. Elas são você, suas alegrias particulares, suas tristezas, e nunca podem ser contadas. Se as contar, você estará barateando-as, barateando a si mesmo. Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.

Clarice Lispector

Pensamento

Que minha solidão me sirva de companhia.


Que eu tenha a coragem de me enfrentar.

Que eu saiba ficar com o nada

E mesmo assim me sentir

Como se estivesse pleno de tudo.
 
E no final, estarei sentindo o afago
 
Envoltório da saudade...e nada mais

sábado, 24 de julho de 2010

Jim Morrison....a estranha história do filho do Almirante em Chefe da Esquadra Americana no Pacífico, que virou um um rock star...

Jim Morrison era filho do almirante George Stephen Morrison e sua mulher Clara Clark Morrison, ambos funcionários da marinha americana. Seus pais eram conservadores e rigorosos, todavia Jim acabou por tomar para si pontos de vista completamente antagônicos aos que lhe foram ensinados. Ainda jovem, foi escoteiro.

De acordo com Morrison, um dos eventos mais importantes da sua vida aconteceu em 1947, então com quatro anos, durante uma viagem de família ao Novo México, que ele assim descreveu:

A primeira vez que descobri a morte… eu, os meus pais e os meus avós, íamos de automóvel no meio do deserto ao amanhecer. Um caminhão carregado de índios, tinha chocado com outra viatura e havia índios espalhados por toda a auto-estrada, sangrando. Eu era apenas uma criança e fui obrigado a ficar dentro do automóvel enquanto os meus pais foram ver o que se passava. Não consegui ver nada – para mim era apenas tinta vermelha esquisita e pessoas deitadas no chão, mas sentia que alguma coisa se tinha passado, porque conseguia perceber a vibração das pessoas à minha volta, então de repente apercebi-me que elas não sabiam mais do que eu sobre o que tinha acontecido. Esta foi a primeira vez que senti medo… e eu penso que nessa altura as almas daqueles índios mortos – talvez de um ou dois deles – andavam a correr e aos pulos e vieram parar à minha alma, e eu, apenas como uma esponja, ali sentado a absorvê-las.[1]

Os pais de Morrison afirmaram que tal incidente nunca ocorreu. Morrison dizia que ele ficara tão perturbado pelo caso que os seus pais lhe diziam que tinha sido um pesadelo, para o acalmar. Em qualquer caso, tenha sido real ou imaginário, o incidente marcou-o profundamente, e ele fez repetidas referências nas suas canções, poemas e entrevistas, como por exemplo nas músicas "Peace Frog" e "Ghost Song".

Com seu pai servindo à marinha, sua família se mudava constantemente. Passou a maior parte da infância em San Diego, California, e, em 1958, entrou para a Alameda High School, em Alameda, embora tenha se formado na George Washington High School, em Alexandria, Virginia, em junho de 1961. Foi morar com os avós em Clearwater, Florida, onde tomou aulas no St. Petersburg Junior College. Em 1962, se transferiu para a Florida State University.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

O Espiritismo no Brasil

O Brasil é considerado o maior país espírita do mundo. Denominado kardecismo em homenagem a seu codificador, o espiritismo no Brasil começou em Salvador BA em 1865. A partir de 1877, foram fundadas as primeiras comunidades espíritas, como a Congregação Anjo Ismael, o Grupo Espírita Caridade e o Grupo Espírita Fraternidade. Em 1883, surgiu O Reformador, a mais antiga publicação espírita do Brasil, e no ano seguinte Augusto Elias da Silva fundou a Federação Espírita Brasileira, que adquiriu grande projeção na gestão de Adolfo Bezerra de Meneses Cavalcante, a partir de 1895. A Livraria da Federação, criada em 1897, é responsável pela edição, distribuição e divulgação da vasta literatura espírita. Ao lado da difusão da doutrina, as organizações espíritas brasileiras realizam um amplo trabalho de assistência social e fraternidade humana, com manutenção de asilos e outras instituições.

Dentre os principais médiuns brasileiros destaca-se sobretudo a figura de Francisco Cândido Xavier, autor de centenas de obras psicografadas e realizador de um intenso trabalho espiritual. Além dele, ganhou notoriedade José Pedro de Freitas, o Zé Arigó, que efetivava curas e cirurgias pela incorporação do espírito do médico alemão conhecido como Dr. Fritz. Outro grande divulgador da doutrina é Divaldo Pereira Franco.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Kant e a República dos Sonhos

A onda de cinismo e corrupção a que temos assistido ao longo dos últimos anos deixa transparecer uma coisa: estamos longe do ideal republicano que, na tradição liberal, encontrou em Immanuel Kant (1724-1804) um dos seus mais importantes formuladores. Direi, na parte final deste comentário, em que pontos o Brasil, em particular, e a América Latina, de um modo geral, se afastaram do ideal republicano apresentado pelo filósofo alemão. Primeiro, destacarei alguns dos seus conceitos básicos.


Immanuel Kant defendia a organização livre dos Estados como fundamento para a paz. Uma estrutura política, para ser sadia, pensava o mestre alemão, deveria se alicerçar no respeito à pessoa humana e ao seu mais prezado direito, a liberdade. Só a constituição do Estado como república garantiria essas duas exigências. Nem o despotismo de um nem o de vários poderiam ser aceitos, pois a vontade pública é, neles, utilizada como se fosse a vontade particular do governante. Nas formas despóticas de organização política, o governo trata o povo como se fosse a sua propriedade.

A Constituição republicana, segundo Kant, é aquela que se encontra estabelecida de conformidade com os seguintes três princípios:
Da liberdade dos membros de uma sociedade enquanto indivíduos;
da dependência de todos em relação a uma única legislação comum, enquanto súditos;
e de conformidade com a lei da igualdade de todos os súditos, enquanto cidadãos.
Essa forma de governo é a única que decorre da ideia do contrato imaginário e sobre a qual se devem fundar as normas jurídicas de um povo.

A Constituição republicana, ainda segundo o mestre alemão, além de ter nascido na pura fonte do conceito do direito, tem a vista posta na paz perpétua. Se o consentimento dos cidadãos é necessário para decidir se deve haver guerra ou não, nada é mais natural que eles pensem muito antes de começar um jogo tão maligno.

Poesia da Saudade

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,

teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...

Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.

Mário Quintana

domingo, 18 de julho de 2010

Para Viver um Grande Amor....

Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.


Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... — não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.


Vinícius de Moraes


A primeira lição está dada: o amor é onipresente.

Agora a segunda: mas é imprevisível.

Jamais espere ouvir “eu te amo” num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir “eu te amo” numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão..... Idealizar é sofrer. Amar é surpreender....


Vinicius de Moraes

Poeta
Poetinha
Camarada....poeta da levada, do pagode e do tan tan

Com toda a inspiração...

Vinícius de Moraes...30 anos de saudade

sábado, 17 de julho de 2010

Santo Ângelo - RS


Memorial Coluna Prestes...foto dos Oficiais integrantes da Coluna em 1927, quando eles dominaram a cidade de Santo Ângelo, na fronteira oeste do Rio Grande do Sul...Viagem....
                                                             Ouvindo Bebel Gilberto e Forró in The Dark

Casamento...

O casamento não é o final de tudo. Só das farras, bebedeiras, mulheres, baladas, amizades femininas, viagens sem destino, sábados de futebol, churrascos de domingo, campeonatos de video-game, barba, brinco, revistas de mulher pelada, filmes de putaria, cervejas de sexta a noite, privacidade, comida da mamãe, do seu salário, sua banda de rock, coleção de gibis, bagunça, ressacas, férias, carnaval, micaretas, pontualidade, sexo selvagem, dos flertes nos chats, no msn, orkut, facebook, no trabalho, vida social, cultural e inteligente, ou seja nem é tão ruim assim...basta saber conviver com coisas melhores...

rsssss.....desculpe amore

Trem para as estrelas

São 7 horas da manhã

Vejo Cristo da janela
O sol já apagou sua luz
E o povo lá embaixo espera
Nas filas dos pontos de ônibus
Procurando aonde ir
São todos seus cicerones
Correm pra não desistir
Dos seus salários de fome
É a esperança que eles tem
Neste filme como extras
Todos querem se dar bem

Num trem pras estrelas
Depois dos navios negreiros
Outras correntezas

Estranho o teu Cristo, Rio
Que olha tão longe, além
Com os braços sempre abertos
Mas sem protejer ninguém
Eu vou forrar as paredes
Do meu quarto de miséria
Com manchetes de jornal
Pra ver que não é nada sério
Eu vou dar o meu desprezo
Pra você que me ensinou
Que a tristeza é uma maneira
Da gente se salvar depois

sexta-feira, 16 de julho de 2010

A Densidade do Sonho Lúcido

“Sonhar lúcido é sonhar enquanto você sabe que está sonhando.(..) Normalmente, a lucidez começa no meio de um sonho, quando o sonhador percebe que o que está sendo vivido não ocorre na realidade física; é um sonho”

Minha interpretação aqui é de que, em um sonho, não podemos ser cínicos e mentir para nós mesmos. Assim, idéias elaboradas a partir de meras racionalizações não são bem-vindas dentro dos sonhos. Nestes, somos aquilo que realmente somos ! No caso, poderia ter feito "algo melhor", sem dúvida, porém, esse "algo" deveria estar em consonância com todas as esferas da mente (as vontades inconscientes etc). Por isso, o "desfrutar o sonho" foi uma espécie de "consenso" interno entre as diversas instâncias da mente.


                                              Ouvindo Cartola...disfarça

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Por não estarem distraídos

Havia a levíssima embriaguez de andarem juntos, a alegria como quando se sente a garganta um pouco seca e se vê que, por admiração, se estava de boca entreaberta: eles respiravam de antemão o ar que estava à frente, e ter esta sede era a própria água deles. Andavam por ruas e ruas falando e rindo, falavam e riam para dar matéria peso à levíssima embriaguez que era a alegria da sede deles. Por causa de carros e pessoas, às vezes eles se tocavam, e ao toque - a sede é a graça, mas as águas são uma beleza de escuras - e ao toque brilhava o brilho da água deles, a boca ficando um pouco mais seca de admiração. Como eles admiravam estarem juntos! Até que tudo se transformou em não. Tudo se transformou em não quando eles quiseram essa mesma alegria deles. Então a grande dança dos erros. O cerimonial das palavras desacertadas. Ele procurava e não via, ela não via que ele não vira, ela que, estava ali, no entanto. No entanto ele que estava ali. Tudo errou, e havia a grande poeira das ruas, e quanto mais erravam, mais com aspereza queriam, sem um sorriso. Tudo só porque tinham prestado atenção, só porque não estavam bastante distraídos. Só porque, de súbito exigentes e duros, quiseram ter o que já tinham. Tudo porque quiseram dar um nome; porque quiseram ser, eles que eram. Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios. Tudo, tudo por não estarem mais distraídos.

[Clarice Lispector]

Conhecimento e Corrupção

Pode-se com certeza afirmar que o ensino superior no Brasil é pífio
Sua extensão de apenas 10% aos brasileiros é uma piada, se compararmos com os 32% dos vizinhos chilenos, os 80% dos canadenses e os 87% dos noruegueses....
Mas nestes, os sistemas democráticos funcionam e não por acaso são países cujo índice de corrupção no poder público é baixo...
O Brasil assim iguala-se À culturas aprisionadas aos malefícios da ignorância e da dominação. Não é a toa que o Coronelismo ainda estende seus tentáculos pelos sertões de norte a sul.
Lógico, o apadrinhamento inicia-se no Poder Executivo Federal, por que não extendê-lo a todos?

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Olhando pela janela do ônibus...

Outra noite que se vai

Eu não tô correndo atrás
Quanto tempo já passou
E a gente nem se falou
Quanta coisa a gente faz
Depois quer voltar atrás

Outra noite que você
Passa e finge que nem vê
Não esconde o teu rancor
Quer tentar me enlouquecer
Quanta coisa a gente faz
Depois quer voltar atrás

Então, me diz alguma coisa
Bate aqui de madrugada
Pra lembrar daquele tempo
Pra sempre ou só por um momento
Me dá um beijo na boca
E depois me leva pra tua casa

Perguntou por mim que eu sei
Olha, por mim vai tudo bem
Disse que me viu passar por aí
E que eu não tava muito bem
Quanta coisa a gente faz
Depois quer voltar atrás
Então, me diz alguma coisa
Toca um Marley na viola
Pra lembrar daquele tempo
Pra sempre ou só por um momento
Me dá um beijo na boca
E depois me leva pra tua casa


Perguntou por mim que eu sei
Olha, por mim vai tudo bem
Disse que me viu passar por aí
E que eu não tava muito bem
Quanta coisa a gente faz
Depois quer voltar atrás
Então, me diz alguma coisa
Toca um Marley na viola
Pra lembrar daquele tempo
Pra sempre ou só por um momento
Me dá um beijo na boca
E depois me leva pra tua casa

terça-feira, 13 de julho de 2010

Gostar de Rock é um preconceito

Por mais ignorante que sejam as pessoas,
devo dizer que o rock me faz rejuvenescer
não é só o som
é a atitude rejuvenescente
o clima de amor
o escaldante tributo à juventude!
Vou continuar nessa visão
Por mais preconceito que haja
Até que não hajam mais
Nesse mundo
Bandas de Rock!

A Tribo do Rock é mesmo uma Legião Urbana

Good Bless The Rock

Woodstock

Rei do Rock

Light My Fire - The Doors - Viva ao Rock mundial

You know that it would be untrue

You know that I would be a liar
If I was to say to you
Girl, we couldn't get much higher

Come on baby, light my fire (2x)
Try to set the night on fire
The time to hesitate is through
No time to wallow in the mire
Try now we can only lose
And our love become a funeral pyre

Come on baby, light my fire
Try to set the night on fire
The time to hesitate is through
No time to wallow in the mire
Try now we can only lose
And our love become a funeral pyre

13 de julho - Dia do Rock in Roll!

Hoje é um dia bem significativo...

Dia do rock...escolhido por causa da data ter acolhido desde 1985 o Live Eight, um concerto de rock mundial em 8 cidades do mundo, Londres, Paris, Estocolmo, New York, Rio, Tóquio, Otawa e Madrid...

Ouço rock desde meus 9 anos....em noites de rádio transamérica em minha casa de praia de Itaipuaçú...exatamente em 1985...
Ouvia Camisa de Vênus, Raulzito, The Smiths, The Cure e B´52´s...
Época de Rock in Rio...de Iron Maden, Paralamas, Barão, Kiss e Cindy Lauper...

Tardes de rock, ouvindo e cantando Eduardo e Monica e London London!

Saudades e boas influências!

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Planejamento e Controle Gerencial

descobri que a FGV
tem professores melhores....bem, pelo menos a matéria está sendo bem entendida
tá show!

Começou o ano

acabou a copa, estamos de ressaca
as pessoas nem sabe por onde começar
mas a vida taí
o rumo que se quer tomar
é o universo
como diz o Sebastião
em desencanto

domingo, 4 de julho de 2010

Domingo

Você acordar num domingo de ressaca, em plena onze horas da matina....é foda!

Mas o pior é comer e dormir e acordar quase sete...

Que deprÊ....

Aquele som de fantástico no ar...as lembranças da semana de trabalho...ái meus doze anos de marinha que não passam...

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Mais um dia fatídico!

Dia 03 de julho de 2010

Caiu a seleção na copa....
Assim como foi em 1986 com o gol do Platini....eu e Aline ainda fomos pra rua comemorar...
Assim como foi em 1990, com um gol do Caniggia....quando eu aline e os sobrinhos destruimos os enfeites da Vila...
Assim como foi em 1998...com gol de Zidane...quando eu e Mamãe nos entristecemos dentro de casa...
Assim como foi em 2006...com Zidane mais uma vez....Rayane com 4 aninhos, tadinha

A próxima, vai demorar tanto!

Até lá....Deus queira!